ANAXÍMENES DE MILETO – O AR (PNEUMA)

O filósofo Anaxímenes de Mileto foi discípulo de Anaximando de Mileto. Anaxímenes escreveu uma obra chamada “Sobre a Natureza”, nome este muito utilizado pelos filósofos pré-socráticos, o que fazia todo o sentido, afinal, os primeiros filósofos eram estudiosos do mundo natural, por isso eram chamados de filósofos da physis, ou filósofos da natureza, assim, o título “Sobre a Natureza” vem bem a calhar.

Considerado por alguns pesquisadores como sendo a figura principal da Escola de Mileto, Anaxímenes dedicou seus estudos principalmente à meteorologia, estudo científico dos fenômenos atmosféricos que permite a previsão do tempo, e foi um dos primeiros a afirmar que a luz da Lua era proveniente da luz do Sol, algo que pode parecer simplório atualmente, mas foi revolucionário para a sua época.

Anaxímenes deu continuidade à pesquisa sobre o princípio de todas as coisas, chegando à conclusão de que a árche que deu origem e que compõe o universo era o Ar, do grego pneuma, que é infinito, já que ele partiu de um princípio material ilimitado encontrado na natureza que explicasse a composição e a sustentação de todo o cosmos. Anaxímenes acreditava que para a geração da matéria era necessário um ser sensível, e que o ar teria esta vantagem, por ser o elemento mais liberto de forma, pois não o vemos, apenas experimentamos seu movimento. Para o filósofo, é a partir do ar que tudo surge e é nele que tudo se dissolve. Por isso, o ar se transformaria, por condensação, em vento, depois nuvem, para a partir de então transformar-se em água e depois em terra e, por rarefação, ou seja, tornando-se menos denso, em fogo, algo bem parecido com a ideia de Heráclito, que apresentava a mesma teoria, mas partindo do elemento fogo.

Hoje sabemos que não é muito bem assim que funcionam os elementos da natureza, mas devo lembrá-los de que os pré-socráticos foram uns dos primeiros estudiosos que começaram a analisar a realidade a partir da própria observação da realidade, há mais de 2000 anos. Portanto, é importante destacarmos que, apesar de terem chegado a certas ideias falhas a respeito da natureza, ainda assim tais filósofos pré-socráticos chegaram também a ideias muito interessantes e condizentes sobre a realidade, partindo unicamente do estudo racional acerca do mundo, o que lhes dão um alto crédito na história da filosofia e da ciência.

Autor: João Paulo Rodrigues

Referências:

GARCIA, José Roberto; VELOSO, Valdecir da Conceição. Eureka: construindo cidadãos reflexivos. Florianópolis: Sophos, 2007.

Os Pensadores. Os Pré-socráticos. Trad. José Cavalcante de Souza. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1996.

Deixe uma resposta