DEMÓCRITO E LEUCIPO

Leucipo (500 a.C. – 430 a.C.) nasceu provavelmente em Mileto, ou Eleia, ou Abdera. Contemporâneo de Anaxágoras, dos sofistas e de Sócrates. São atribuídos a Leucipo as obras A Grande Ordem do Mundo e Sobre o Espírito. Por sua vez, o filósofo Demócrito (460 a.C. – 370 a.C) nasceu em Abdera, uma colônia jônica da Trácia. Foi discípulo e sucessor de Leucipo na direção da escola de Abdera. Viajou para muitos lugares, entre as quais também Atenas, onde mesmo assim sua filosofia foi ignorada por muito tempo. Demócrito foi provavelmente um dos escritores mais fecundos da Antiguidade, pois, de acordo com o historiador Diógenes Laércio, deixou umas noventa obras, na qual sobraram alguns fragmentos dos livros Pequena Ordem do Mundo, Da Forma, Do Entendimento, Do Bom Ânimo e Preceitos. Pelas fontes, não é possível distinguir com clareza o que se deve a Demócrito e o que se deve a Leucipo. Aristóteles considera Leucipo o criador da teoria dos átomos, que depois foi desenvolvida, elaborada e sistematizada por Demócrito.

Portanto, Leucipo e Demócrito são os primeiros filósofos e cientistas da história a desenvolverem a teoria atômica. Átomo, em grego, significa aquilo que não é divisível, pois, de acordo com os filósofos, se você dividir qualquer objeto sempre ao meio, chegará um momento em que você não conseguirá mais dividi-lo, chegando assim ao menor pedaço de matéria possível, e que então todo o universo é feito dessas pequenas partículas chamadas por eles de átomos.

Para Leucipo e Demócrito, um espaço vazio separa os átomos, permitindo-lhes que se movam livremente, e, como os átomos se movem, podem colidir um com outro para formar novas disposições de átomos, de modo que os objetos no mundo parecem mudar. Os dois pensadores consideravam que há um número infinito desses átomos eternos, mas que o número de diferentes combinações aos quais eles podem se ajustar é finito.

A racionalidade filosófica pode nos trazer conhecimentos que tentam explicar mais acertadamente a realidade, já que o interessante é que durante muito tempo a teoria atômica foi deixada de lado pela ciência, e somente mais de 2000 anos depois dos filósofos pré-socráticos é que a teoria atômica foi retomada, especificamente pelo cientista inglês John Dalton (1766-1844), lançando assim a primeira teoria atômica moderna, que depois foi sendo desenvolvida e melhorada por cientistas posteriores, mostrando que o átomo ainda é dividido em prótons, nêutrons, elétrons, quarks e quem sabe não há outros elementos ainda menores que constituem a matéria?

Autor: João Paulo Rodrigues

Referência:

Os Pensadores. Os Pré-socráticos. Trad. José Cavalcante de Souza. São Paulo: Editora Nova Cultural, 1996.

Deixe uma resposta