MÉTODO SOCRÁTICO

Sócrates é um dos filósofos mais importantes de todos os tempos. Ele nasceu na cidade de Atenas, na Grécia, no ano de 469 antes de Cristo e faleceu em 399 antes de Cristo. Sócrates é proveniente de uma família humilde, com poucos recursos financeiros. Sua mãe era parteira e seu pai era artesão, na qual este ensinou tal atividade ao seu filho, que trabalhou neste ofício durante sua juventude. Sócrates também serviu ao exército ateniense durante três temporadas, chegando a lutar na Guerra do Peloponeso. Ao se aposentar, passou então a exercer a atividade pela qual ficou mais conhecido: a de filósofo.

Para Sócrates, a verdade se encontra no interior de cada ser humano. Portanto, toda pessoa poderia encontrar a verdade, desde que a buscasse através do diálogo com as outras pessoas, pois somente assim ocorreria uma verdadeira troca de conhecimentos.

Para auxiliar nessa empreitada, Sócrates desenvolveu o método dialético, também chamado depois de método socrático, que consiste em uma dinâmica de caráter dialético, baseada em um jogo de perguntas e respostas. Esse método não tem o objetivo de inserir nos outros o pensamento ou a verdade de Sócrates, mas sim estimular cada um a pensar por si mesmo. Assim, Sócrates se torna uma das grandes fontes históricas de alguém que dava alta importância ao pensamento crítico e questionador.

O método socrático é constituído de 2 partes complementares: a ironia e a maiêutica, respectivamente.

IRONIA

Na primeira parte (a Ironia), Sócrates, fazendo-se de ignorante, iniciava uma exaustiva série de perguntas e respostas, até que o interlocutor, caindo em contradição, reconhecesse sua própria ignorância e incapacidade, no sentido de que, depois desse diálogo, o interlocutor começasse a perceber que pouco sabe acerca das coisas que achava saber.

A fase da Ironia pode ser resumida com a mais conhecida frase filosófica de todos os tempos: “Só sei que nada sei”. Para termos uma ideia melhor sobre essa frase, Sócrates lembra de quando seu amigo, Querofonte, foi ao Oráculo de Delfos perguntar quem era a pessoa mais sábia, e ouviu em resposta que essa pessoa era Sócrates. Sócrates, indignado, deu início a uma exaustiva busca para tentar encontrar alguém mais sábio do que ele, para rebater o oráculo, porém, depois de várias frustrações, ao ver que os que se diziam sábios não sabiam de nada, Sócrates se deu conta de que ele era realmente o mais sábio, pois, ao contrário dos outros, que supunham saber algo de que na verdade não sabem, Sócrates pelo menos sabia de que nada sabia.

MAIÊUTICA

A segunda fase é a Maiêutica, que significa “Dar à luz” em grego. Nesta fase, quando aquele que achava saber começa a ter consciência de sua própria ignorância, ele estaria pronto para o momento do parto, ou seja, para, a partir de seu interior, dar à luz novas ideias. Quanto ao conceito maiêutica, Sócrates inspira-se na profissão de sua mãe, que era parteira, pois, se a sua mãe auxiliava as mulheres grávidas a darem à luz os seus próprios filhos, já que o esforço de parir a criança vinha da própria mãe, Sócrates percebeu que não é ele quem deve inserir o conhecimento verdadeiro na mente das pessoas, mas sim auxiliar essas próprias pessoas a exteriorizarem suas próprias ideias.

A fase da maiêutica pode ser resumida com a seguinte frase: “Conhece-te a ti mesmo”. Essa frase encontrava-se na entrada do Oráculo de Delfos. Essa frase traz o entendimento de que, se você quiser encontrar a verdade, precisa se conhecer melhor, ou seja, realizar um cuidado de si. Afinal, o que você é? O que você deseja? O que você quer ser? Somente assim, em sintonia com o seu verdadeiro eu, ao se conhecer melhor, você pode então conhecer a verdade acerca do mundo e do universo.

Autor: João Paulo Rodrigues

Referências:

https://www.infoescola.com/pedagogia/metodo-socratico/

https://brasilescola.uol.com.br/biografia/socrates-biografia.htm

https://www.infoescola.com/filosofia/dialetica/

https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/conhece-te-a-ti-mesmo-socrates-e-a-nossa-relacao-com-o-mundo.htm

Oráculo de Delfos: https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-era-o-oraculo-de-delfos/

Deixe uma resposta