SÓCRATES – “VIVER SIGNIFICA ESTAR DOENTE”

A frase da vez é “viver significa há muito estar doente: devo um galo a Asclépio, o salvador”, dita por Sócrates, através de Platão, e interpretado por Nietzsche. Nietzsche afirma que o ocidente, ao adotar o decadente pensamento platônico, tornou o homem fraco e doente, pois passou a depositar suas esperanças no mundo espiritual que surgiria no pós-morte, pois Sócrates, ao se referir a uma oferta ao deus da medicina, sugere que a morte seria a cura da vida e passagem para o mundo perfeito. Se antes de Sócrates os antigos mesclavam a realidade ao mito, o que se refletia na riqueza mitológica, na religiosidade, na literatura e na filosofia dos pré-socráticos, ao integrar as dimensões apolínea e dionisíaca, Sócrates se torna, segundo Nietsche, o mentor do assassinato da tragédia, ao supervalorizar a filosofia teórica em detrimento da sabedoria trágica, resultando em um julgamento negativo contra a vida, já que Sócrates surge como modelo para os grandes sábios que transmitiram a “doença” metafísica para as próximas gerações.

Referências:

https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/kinesis/article/view/4796

Deixe uma resposta