VIRTÚ E FORTUNA – MAQUIAVEL

Nicolau Maquiavel (1469-1527) nasceu em Florença, na península itálica. Sempre foi interessado nas questões políticas, fato esse que o levou a escrever um dos livros mais conhecidos sobre filosofia política, intitulado “O Príncipe”. Esse livro tinha por objetivo apresentar ideias sobre liderança política, tendo em vista que a Itália do Renascimento era bem caótica, já que a tirania imperava em pequenos principados, que eram governados de modo autoritário por casas reinantes sem tradição ou de direitos duvidosos. Por isso, a ilegitimidade do poder político acabou gerando situações de crise e instabilidade permanente, o que Maquiavel pretendia combater em sua obra. Entre as várias teorias políticas apresentadas por Maquiavel, vamos destacar duas aqui nesse vídeo, a saber: a fortuna e a virtú. Para o filósofo, o governante deve ter virtú para poder controlar a fortuna, basta agora sabermos o significado de cada um desses conceitos.

Fortuna significa “acúmulo de bens” ou destino, e sua origem vem da deusa romana chamada Fortuna, que é quem move a roda da sorte, ou, a roda da fortuna. Para Maquiavel, fortuna é entendida como “ocasião”, “acaso”, “sorte”. Portanto, para praticar uma boa ação, o governante deve se precaver para aguardar a ocasião oportuna, para não depender demais da fortuna, tendo em vista que ela é instável, por isso ele deve aproveitar a sorte das circunstâncias, observando atentamente o curso da história.

Virtú, por sua vez, significa valor, competência, astúcia. Governantes de virtú são aqueles que possuem a habilidade de realizar grandes obras, com o talento de perceber o jogo de forças da política para então agir com ímpeto. De acordo com Maquiavel, a virtú deve ser colocada em prática sem levar em consideração os valores cristãos, devido a falta de compatibilidade entre esses valores e a política, por isso, para Maquiavel, a política deve ser autônoma e laica, ou seja, deve ser realizada com lógica própria e sem a influência da religião no âmbito político.

Para exemplificar, vamos supor que um determinado país esteja passando por um período de pandemia. Segundo Maquiavel, um governante de virtú utilizaria sua competência para que ocorra o mínimo de danos possíveis à sociedade e assim evitar que a fortuna não lhe traga infortúnios, por exemplo, fazendo com que o ministério da saúde seja bem administrado e que apresente à sociedade todas as informações e meios necessários para que a pandemia não se alastre pelo país, diminuindo assim o caso de vítimas e, consequentemente, não afetando negativamente a economia.

Autor: João Paulo Rodrigues

Referências:

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe. Trad. Olívia Bauduh. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

https://www.infoescola.com/livros/o-principe/

https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/ciencia-politica-maquiavel.htm

Deixe uma resposta